Desmistificando a vacina da febre amarela

Por Equipe todosBem | 13 de February de 2018

Desde 1942, o Brasil não tinha casos do surto de febre amarela, porém, nos últimos meses, o país vem sofrendo com muitos casos da doença, o que tem deixado muitas famílias alarmadas.

Foi pensando nisso que reunimos aqui nesse artigo alguns esclarecimentos em relação a doença e a sua vacina, além de formas de prevenção para você se cuidar e proteger todos ao seu redor.

Mas afinal, o que é a Febre Amarela?

A febre amarela é uma doença infecciosa grave causada por um vírus chamado RNA e transmitida por três espécies diferentes de mosquitos, sua transmissão em meio selvagem e menos urbanizado se dá pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, já a transmissão em áreas urbanas se dá pelo velho conhecido Aedes aegypti, mesmo transmissor do vírus da dengue. A doença não é transmitida de pessoa para pessoa, somente pelos insetos.

Seus principais sintomas em casos leves são: Calafrios, Febre, Dor de cabeça, dor no corpo, vômitos, dor de cabeça e icterícia (a pele e os olhos amarelados). Sua forma grave pode causar Hemorragias, insuficiência hepática, renal, morte e icterícia.

Devem tomar a vacina todas as pessoas que viajam ou vivem em regiões infectadas pelo vírus, no caso do Brasil, todas as regiões são de risco.

O que é vacina fracionada de febre amarela?

A fim de evitar que a doença se espalhe, a medida preventiva adotada foi a vacinação fracionada, que equivale a ? da dose inteira, seu efeito é semelhante a dose inteira e sua proteção dura ao menos 8 anos – para entender melhor, a dose inteira equivale a vida toda do vacinado.

Os efeitos colaterais graves da vacina são raros, apenas 5% das pessoas apresentam febre, dor de cabeça e dor no corpo.

Não devem tomar a vacina: Crianças menores de 9 meses, mulheres amamentando bebês de até 6 meses, pessoas alérgicas a ovo, portadores de HIV com contagem de células CD4 menor que 350, pessoas em tratamento quimioterápico ou radioterápico, pessoas com doenças autoimune e pessoas que estão passando por tratamento com imunossupressores.

Pessoas maiores de 60 anos, gestantes, que terminaram tratamento quimioterápico ou radioterápico, portadores de doenças renais, hepáticas ou do sangue e usuários de corticoide devem passar no médico antes de tomar a vacina.

Tratamento da febre amarela

Não existe tratamento específico para a doença, além do acompanhamento médico; o infectado deve se manter em repouso, tomar muita água para reposição dos líquidos e da perda sanguínea, quando indicado. Em casos graves o mesmo deve receber tratamento e ser  atendido em uma unidade de terapia intensiva (UTI).

Como se prevenir contra febre amarela

Antes de falarmos sobre os cuidados preventivos, vale entender e desmistificar um ponto importantíssimo sobre a doença que é: Macacos não são os transmissores. Vide os casos registrados no país com a morte de diversos animais causada pela falta de informação da população sobre o assunto.

Como a transmissão é feita pelos mosquitos, o melhor método preventivo é evitar que focos da doença se espalhem. Os mosquitos proliferam-se na água, sobretudo em água parada. Qualquer recipiente que possa causar o acúmulo de água parada deve ser esvaziado, tampas de caixa d’água, latas, garrafas vazias, pneus parados, pratos de vaso de plantas devem ser trocadas por areia.

Para evitar a proliferação do mosquito já adulto, deve-se utilizar repelentes, telas mosquiteiras, e inseticidas, além da proteção individual que é a vacinação.

Cuidar da sua saúde e da saúde e de todos ao seu redor é uma das maiores formas de carinho, então compartilhe este artigo para as pessoas entenderem e tirarem todas as suas dúvidas em relação a doença.

Caso esteja com algum dos sintomas, nós da todosBem estamos a disposição para atendê-lo.

Deixe seu comentário

© todosBem - Clínica popular. Todos os direitos Reservados.

Topo